Para um descarte correto de EPIs, deve ser analisado a origem e onde o mesmo foi utilizado, para que se dê a sequência no correto descarte. Se um trabalhador realiza suas atividades em postos de trabalho com radioatividade ou exposição a produtos químicos, o EPI estará sofrendo contaminação e deve ser descartado de acordo a classificação no Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS de cada indústria.

De acordo com a ABNT 10004:2004, os resíduos obterão duas classificações:

RESÍDUOS CLASSE I – Perigosos:

EPIs que são contaminados por produtos químicos ou tóxicos durante sua utilização e/ou origem.

RESÍDUOS CLASSE II – Não Perigosos:

Não sofrem contaminação e devem ser armazenados como lixo comum ou enviado para reciclagem.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 😉