Analisando pela ótica da sustentabilidade, não faz sentido uma empresa ter uma atuação ecologicamente correta e não atuar com uma gestão ambiental estratégica, visando o desenvolvimento sustentável da empresa. O qual de fato, requer qualidade em vez de quantidade, com a redução do uso de matérias-primas e a ampliação da reutilização e da reciclagem.

As inovações tecnológicas de equipamentos de proteção individual são essenciais para a gestão ambiental, especialmente quando relacionadas à proteção do meio ambiente. O desenvolvimento de produtos ambientalmente sustentáveis vem sendo uma das alternativas das empresas para almejar vantagens competitivas.

A cautela na escolha das matérias primas utilizadas na confecção dos EPIs é um fator primordial para garantir a segurança dos usuários. As empresas fabricantes de EPIs, preocupadas especialmente com o resultado do seu negócio, veem os fatores ambientais como agregador de ganhos no conceito empresarial.  Algumas das alternativas de equipamentos de proteção individuais sustentáveis disponíveis no mercado:

  • Luva em fibras naturais de bambu;
  • Luvas com algodão reciclado;
  • Calçados em microfibra;
  • Capacetes com biopolímeros.

Os resultados abordam que, a substituição de matérias-primas no processo de fabricação com o objetivo de preservação do meio ambiente, torna a empresa ecoeficiente, pois envolve o atendimento extraordinário dos requisitos legais e regulamentares de seus produtos e serviços. Como também da postura ética e transparente no procedimento dos negócios e no relacionamento com o mercado.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 😉

Ficou com alguma dúvida? Então deixe um comentário!