Desde criança aprendemos a identificar através de placas e adesivos,
os produtos perigosos que temos em casa e que devemos manter
distância, normalmente nossos pais já criavam restrições de acesso a
estes componentes. Essa mesma metodologia deve ser aplicada nas
industriais que mantém ambientes de armazenamento e/ou manuseio
de produtos químicos, sejam eles combustíveis ou inflamáveis.

 
Quando nos deparamos com um projeto de instalações de
combustíveis e inflamáveis, é muito importante que seja realizada
inicialmente uma avaliação deste ambiente, para que seja possível
fazer a classificação dos riscos que estas áreas oferecem, e assim
definir os treinamentos necessários aos Colaboradores e demais
exigências que a Normas trás a respeito da estrutura física. Esse
processo basicamente é feito avaliando dois aspectos principais, que
são as atividades realizadas no local e a capacidade de
armazenamento, de forma permanente e/ou transitória dos tanques
que contém estes produtos.

 
O item 20.4.1 da NR 20, trás uma tabela com uma série de
atividades e capacidades de tanques, bem como classificação de
produtos, que devem ser comparadas com a realidade da empresa e
assim chegar à sua Classe de Risco. Com esse item definido, avalie
pontos importantes da Norma que dizem respeito à capacitação dos
trabalhadores que irão operar o sistema de abastecimento, seja de
líquido combustível ou gás liquefeito de petróleo (GLP), do
distanciamento dos tanques de outros produtos diferentes e das
restrições de acesso, para que pessoas leigas não se aproximem do
local. Desta forma, é possível promover um ambiente mais seguro
aos seus trabalhadores e evitar ações e/ou sanções trabalhistas.

 
André Ruediger: 31 anos, Catarinense, Proprietário da Empresa Senso
Ambiental, Técnico de Segurança do Trabalho Sênior em empresa de
grande porte, Brigadista Particular, Qualificação em Operações de
Segurança Empresarial e Acadêmico de Engenharia Ambiental.